Vendas de livros no país em novembro já superam como de 2020

O 11º Painel do Varejo de Livros no Brasil, realizado pela Nielsen BookScan e divulgado pelo Sindicato Nacional dos Editores de Livros de novembro (SNEL), mostra que as vendas do setor cresceram 33,03% em volume e 31,14% em valor no acumulado de janeiro a este ano, em comparação a igual período de 2020.

O resultado supera o desempenho de todo o ano passado, quando foram vendidos 41,9 milhões de exemplares, com receita de R$ 1,74 bilhão. No acumulado agora, o varejo registrou 43,9 milhões de livros comercializados em 2021, com faturamento de R$ 1,83 bilhão, contra 32,99 milhões de unidades vendidas no mesmo período de 2020, gerando receita de R$ 1,39 bilhão.

Para o presidente do SNEL, Marcos da Veiga Pereira, o estudo representa o otimismo que os mercados brasileiros e mundiais estão vivendo. Segundo Pereira, o isolamento social imposto pela pandemia do novo coronavírus favoreceu o encontro dos leitores com a literatura e impulsionou as vendas deste ano, confirmando que o mercado se encontra em expansão.

Em vislumbrou Agência Brasil, Marcos Pereira enfatizou que o resultado obtido foi o momento “é espetacular”. “A gente não tinha ideia que fouse conseguir manter o crescimento ao longo do ano, nesses meses agora, em que a gente estava vendendo muito livro no ano passado. E continuamos vendendo mais do que no passado, com previsão de fechar 2021 perto de 25%”. Ele credita que um curso concluído em 2022, mas nesse não. “Mais se a gente conseguir continuar crescendo a taxas mais parecidas com algo entre 5% a 10%, eu vou estar muito feliz, porque a gente vai estar em um mercado robusto que continua a crescer”, comentou.

resiliência

De acordo com o levantamento, as diferenças apuradas apuradas este ano, novembro, resultado de owe momentos do mercado livreiro: em 2020, um mercado atingido medidas restritivas para a transmissão da covid-19 e, em 2021, um setor livre mas consolidada e resiliente.

O primeiro presidente do SNEL lembrou que no semestre deste ano, ocorreu uma segunda onda forte da covid, que levou várias lojas ainda a fecharem. “Eu não acho que isso vai acontecer em 2022”. Ao mesmo, podem assinalar que há uma grande definição no tempo, ou em quanto ao cenário geral podem contribuir. “Então, eu acredito que a gente precisa continuar a gerar boas notícias, para que a leitura continue em alta e as pessoas continuem a continuar lendo”.

O preço médio por exemplar nos primeiros 11 meses deste ano, da ordem de R$ 41,64, apresenta uma redução de 1,42% em relação ao valor registrado de novembro de 2020 (R$ 42,24).

Os dados do Painel são diretamente colaboradores da caixa, ‘e-commerce’ e negócios. Como informações são recebidas eletronicamente em formato de dados e, o processamento, os dados são enviados ‘online’ e atualizados semanalmente. O Nielsen BookScan é o primeiro serviço de monitoramento de vendas de livros no mundo, atua em dez países, e o resultado de seu trabalho contribui para a tomada de decisão das editoras. O SNEL divulga o Painel das Vendas de Livros no Brasil a cada quatro semanas.

Leave a Comment

Your email address will not be published.