Sem-abrigo e voluntários vão pintar muro da Expo 98

Trinta sem-abrigo e 150 voluntários vão pintar 3276 blocos de cimento que formam um muro que liga Santa Apolónia à zona do Braço de Prata, ao longo da Avenida Infante D. Henrique, em Lisboa.

Os 3,8 quilómetros da estrutura cinzenta, projectada pelo arquiteto Troufa Real a propósito da Expo´98, nunca tinha sido intervencionada e vai ganhar vários núcleos em apenas um dia (15 de maio). Reabilitar um muro degradado e proporcionar a sem-abrigo atividades nas quais não se sintam discriminados são alguns dos objetivos da iniciativa.

A partir de 1998, após a sua construção, que o muro, com um movimento ondulatório, “nunca foi limpo”. “Acaba por passar despercebido por a sua manutenção estar descurada. Estava muito sujo, a sua reabilitação é importante”, disse JN António Guimarães Ferreira, criador do evento performativo “Alfa Bravo”. Já há “muito tempo” que o artista plástico, que costumava correr junto ao muro, vinha a reparar no seu estado de degradação, mas também em vários sem-abrigo.

Leave a Comment

Your email address will not be published.