Ruth Ozeki e Elif Shafak entre as finalistas do Prêmio Feminino 2022

Como seis finalistas foram anunciados nesta quarta (27) e concorrem ao prêmio de £ 30 mil (cerca de R$ 188 mil)

O Women’s Prize – que consagra anualmente a melhor escrita de ficção por mulheres – as obras de seis finalistas da edição de 2022.

Continuam na disputa a autora Ruth Ozeki com a obra O livro da forma e do vazio, a história de um menino que, aperer o pai, começa a ouvir que as vozes dos objetos ao seu redor, e que desenvolve um problema de sua mãe conta. No romance, o menino acha refúgio em uma biblioteca e conhece o seu próprio livro que o ensina a ouvir as coisas que realmente importam. A obra será publicada no Brasil por Morro Branco, que também irá relançar este outro livro de Ozeki, Um conto por enquanto.

A autoraturca Elif Shafak também está entre os finalistas. Ela concorre com A ilha das árvores desaparecidas, que será publicado ainda este ano pela HarperCollins. O livro – narrado por uma árvore – fala sobre um acontecimento interrompido pela guerra e de como os encontros e desencontros decorrentes desse fato reverberam por décadas a fio.

Finalista do Booker Prize 2021, Maggie Shipstead continuou na disputa com o livro Grande Círculo, que contém as histórias de uma aviadora desaparecida da década de 1950 e da jovem atriz de Hollywood que a interpretou nas telas. O livro Faith e the Books como “uma leitura absolutamente maravilhosa pela maravilhosa”, cheia de “evocação do desejo de viajar”. Por aqui, Maggie já tem uma obra publicada pela Record.

A fé neozelandesa Meg Mason indicada por seu segundo romance Tristeza e Felicidade, descrito como pelo júri como um romance sóbrio o amor moderno contra as dores confusas e tristes da doença mental. O seu outro livro, Deve ter algo errado comigofé publicada aqui pela Universo dos Livros.

A autora Lisa Allen-Agostini concorre com sua obra de estreia O pão que o diabo amassaum romance que explora um caso de amor abusivo, violência de gênero, racismo e liberdade feminina e fé aclamado como “imersivo” e “cheio de calor, humanidade, humor e tristeza”.

E Louise Erdrich completou uma lista com a obra O prêmio, que acompanha um personagem que conseguiu um emprego em uma biblioteca assombrada depois de anos na prisão. Os juízes disseram que uma obra tem uma ideia inteligente, “realmente uma história ainda incomum”, mas também é uma herança inteligente, “muito inteligente, uma é uma história real e espirituosa”.

Os concorrentes ao prêmio de £ 30 mil (cerca de R$ 188 mil) e o vencedor será conhecido no dia 15 de junho.

Como seis finalistas:

Grande Círculode Maggie Shipstead
Tristeza e Felicidadepor Meg Mason
A ilha das árvores desaparecidasde Elif Shafak
O livro da forma e do vaziode Ruth Ozeki
O pão que o diabo amassade Lisa Allen-Agostini
O prêmiode Louise Erdrich

Leave a Comment

Your email address will not be published.