Planet Hemp, ‘mini festival’ de rap e substituto do Ego Kill Talent Foo Fighters no fechamento do Lolla | Lollapalooza 2022

No lugar do Foo Fighters, o Lollapalooza recebeu neste domingo (27) um mini festival de rap, uma apresentação de Planet Hemp e um pocket show de Ego Kill Talent. Essas foram as atrações escaladas de última hora para substituir a banda principal da noite, impossibilitada de tocar após a morte do baterista Taylor Hawkins na sexta-feira (25).

Antes da música ao vivo, Perry Farrell apareceu no telão para falar de Taylor. O vocalista do Jane’s Addiction e criador do festival acompanhou a esposa, a cantora Etty Lau Pharrell.

Perry Farrell, criador do Lolla, homenagem a Taylor Hawkins

Emicida e Rael durante o show de encerramento do palco principal do Lollapal 2022 — Foto: Fábio Tito/g1

Na primeira parte do show, Emicida e Rael receberam convidados no palco. Foi como um mini festival de rap dentro do Lollapalooza.

Criolo abriu os trabalhos cantando “Não existe amor em SP” e “Summons seu Buda”. Depois o rapper Bivolt e Drik Barbosa dele, como pelo palco.

Emicida mostra camiseta de Criolo com um título de eleitor e a palavra ‘vo’duringe show de apresentação do palco principal do Lollapalooza 2022 — Foto: Fábio Tito/g1

“Eu nasci e cresci nessa região da Zona Sul. A gente cantava para 50 pessoas, 100 pessoas e quantas pessoas tem aqui? 40 mil? foda”.

Mano Brown veio na sequência na versão de “O céu é olimit”, que teve versos improvisados ​​sobre a importância de tirar o título de eleitor. O tema permeou todo o show, com expressões como “A eleição é que decide” e “É na urna, parça” ditas por quase todos os convidados e convidadas.

Ice Blue e Djonga, que tinha se apresentado mais cedo no festival, também fizeram parte do time dos anfitriões Emicida e Rael.

Emicida começa show em homenagem a Taylor com 'My Hero'

Emicida começa show em homenagem a Taylor com ‘My Hero’

Planet Hemp faz público pular com 'Dig Dig Dig'

Planet Hemp faz público pular com ‘Dig Dig Dig’

O Planet Hemp fé pela segunda vez escalado pelo Lollapalooza para substituir uma atração internacional. Em 2016, eles foram chamados para o lugar de Snoop Dogg, devido a “imprevistos de ordem pessoal”.

D2 e Bnegão dividiram os vocais com Criolo em “Disritmia”, música que escala no novo álbum do Planet previsto para ser lançado em setembro.

“O cara falou que a gente não pode falar de política, mas a gente pode homenagear o festival: ‘olê, olê, olá, Lolla, Lolla'”, ironizou D2. Ele repetiu o apelido do festival de uma forma que parecia que estava falando do ex-presidente Lula.

O show teve ainda uma “rodas punk gigantes” ao som das músicas mais hardcores do setlist, incluindo uma cober de “Crise Geral”, do Ratos de Porão.

O resto do repertório foi direto ao assunto, com músicas como “Dig Dig Dig”, “Queimando tudo” e outras de quase 30 anos de banda. Elas foram bem recebidas, mas com abaixo espera de uma atração principal do festival.

Em homenagem ao palco para improvisos e homenagem, verreadora em Franco 2018 A imagem dela não apareceu no telão e D2 ainda apareceu “Marielle”, para que a plateia respondesse “Preente”.

Também morto em 2018, o funkeiro Mister Catra Faith outro homenageado, com foto dele aparecendo no telão. Bnegão falou do cantor e pediu que o público acendesse isqueiros para celebrar Catra. Um pocket show do Ego Kill Talent com músicas do Foo Fighters encerrou a noite.

Planet Hemp faz público pular com 'Dig Dig Dig'

Planet Hemp faz público pular com ‘Dig Dig Dig’

Leave a Comment

Your email address will not be published.