O vício das drogas e refúgio na pornografia. As confissões de Jada, mulher do ator Will Smith – Observador

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Um dos momentos mais marcantes da cerimónia dos Óscares deste ano foi a bofetada de Will Smith deu a Chris Rock depois de o humorista ter feito uma piada sobre a cabeça rapada de Jada Pinkett Smith, que sofre de alopecia — doença que causa a perda de cabelo.

A polêmica fez aumentar o interesse no casamento de Will e Jada, que ao longo dos anos fez várias confissões sobre o matrimónio no talk show “Conversa da Mesa Vermelha”. A atriz e empresária chegou mesmo a dizer que nunca se quis casar com Will Smith, só o tendo feito porque era nova e grávida do primeiro filho.

“Estava sob muita pressão, era uma jovem atriz, estava grávida e não sabia o que fazer, mas nunca me quis casar”, garante Jada Smith, citada pelo jornal espanhol El Mundo.

Porém, as revelações foram ainda mais lombo. Ainda antes de se casar com Will Smith, a atriz passou por um momento mais complicado na sua vida em que era viciado em relações sexuais e em drogas, consumindo todo o tipo de substâncias.

BAR • CONTINUAR A LER A SEGUIR

Para tentar conter os vícios e “preencher um vazio”, Jada Pinkett Smith refugiou-se na pornografia num momento em que estava em abstinência sexual. “O que eu estava a fazer não era saudável. Tinha uma relação com a pornografia que não era boa para mim”, revelado em 2019, garantiu que assista a conteúdos pornográficos cinco vezes por dia.

“Eu queria praticar uma abstinência e isso me levou a estabelecer uma relação doentia com o que eu assista. Sentia-me vazia”, revelou.

A atriz também diz que quando a sua filha Willow fez 11 anos conversou com ela sobre o perigo de assistir a conteúdos para adultos. “Somos muito abertos na nossa família”, diz salientando que, mesmo nas questões mais dolorosas, sempre optou por priorizar a comunicação.

Leave a Comment

Your email address will not be published.