O Rei Leão tinha um erro que foi corrigido pela Disney na versão de 2019 – Notícias de cinema

Dirigido por Jon Favreau, live-action não cometeu o mesmo da animação representar ao Rafiki o macaco que celebra o nascimento de Simba.

Lançado em 2019, o live-action de Rei Leão pode ter desagradado o público, mas deu o que falar aquele ano e se da história, inclusive a oitava maior bilheteria do cinema – superando, Os Vingadores (212) e Velozes & Furiosos 7 (2015). O diretor Jon Favreau (o mesmo de Mogli: O Menino Lobo) se deixou levar pelo hiper-realismo e transformou os simpáticos animais do desenho animado em criaturas sem qualquer expressão facial. Mas há um detalhe que o remake parece ter acertado.

Logo no início, o macaco Rafiki, grande africana da savana, apresenta Simba recém-nascido aos demais bicho, anunciando-o como o futuro. Nesse momento, talvez você tenha notado uma diferença sutil em relação à animação original. De fato, em 1994, o personagem tinha uma cauda,​​o que não é mais o caso hoje.

O Rei Leão: Como a famosa cena da morte de Mufasa quase foi diferente

que sua espécie não seja especificada no Mesmo longa-metragem, Raça no mesmo longa-metragem perda para dos mandris, como os núcleos vermelhos e azul de suas raças como originais provam originais. Porém, na primeira versão, ele é definido de outra forma para Simba: “Isso significa que eu sou um babuíno e você não!” Primo do mandril, o babuíno é dotado de uma cauda longa desprovido de traços coloridos e normalmente sem rosto.

Veja uma comparação abaixo:


Essa pequena inconsistência – relativamente inofensiva na obra de 1994 – sem dúvida teria sido um pouco mas irritante no live-action, isso depende muito do realismo. A classificação como babuíno e cauda de Rafiki foram, por, apagados para que o personagem se pareça semelhante a um mandril.

Vale lembrar que a refilmagem de Favreau vai ganhar uma continuação agora comandada por Barry Jenkins (vencedor do Oscar por Moonlight). Anunciado em setembro de 2020, O Rei Leão 2 vai adentrar uma terra inexplorada pela Disney, contando a origem de Mufasa e de seu irmão Scar. Ainda não há mais detalhes sobre a prequela; sabe-se apenas que vai mostrar os owe leões em sua juventude e seu percurso até virar em grandes rivais.

O Rei Leão 2: Como o filme vai explorar enredos inéditos da franquia? Novo diretor revelou detalhes

O roteiro impressionou Jenkins pela qualidade e chegou a ser comparado a O Poderoso Chefão 2, na medida em que se volta para o passado de seus protagonistas e amplia a trama iniciada em 1994.

Kelvin Harrison Jr. e Aaron Pierre vão líder do elenco de dubladores. O primeiro interpretará Taka, a versão de Scar antes de ganhar sua cicatrização e virar o icônico vilão do desenho animado. O segundo vai incarnar o pai de Simba, Mufasa, cuja morte trágica ainda não foi superada pelos fãs.

Com o retorno do roteirista Jeff Nathanson, uma produção de O Rei Leão 2 já começou, mas não tem previsão de estreia. Seu antecessor, que arrecadou mais de US$ 1,6 bilhão em todo o mundo, está disponível no Disney+.

Leave a Comment

Your email address will not be published.