O Caminho da Água chega para revolucionar nosso segregar o cinema?

A poucos dias da revelação fazem primeiro trailer Avatar 2fica mais dramático a dúvida que deve acompanhar o novo filme de James cameron ate a estreia, em dezembro: um relâmpago pode cair duas vezes no mesmo lugar?

Em termos de impacto e legado, o primeiro Avatar é menos um fenômeno cultural do que um marco tecnológico. Lançado quando o 3D estereoscópico voltou renovado como a tabua de salvamento das salas de cinema, o epico dos Navi foi o impulso para a modernização das salas; Hoje o 3D perdeu o apelo de novidade no cinema mas a tecnologia persevera na indústria dos games, onde a ideia de imersividade continua sendo um norte. Isso não é possível sem Avatar Possivelmente testar, antes, as águas do entretenimento de massa com sua tecnologia.

Qual seria então o potencial impacto e eventual legado de Avatar: O Caminho da Água? Meu quivers é que a tecnologia sendo enviada a uma questão central, mas de modo modificado em: não no sentido de uma alternativa, mas de exclusão. Avatar 2 (e suas continuações) para sacudir a indústria Ou não levaria em fila ao multiplex mas sim para consolidar uma transformação, já em curso, da experiência da sala de cinema em um artigo de luxo.

Desde que Jorge Lucas prévia de 2013 que ir ao cinema se tornaria cada vez mais caro, similar à experiência de concorrer aos ingressos de um musical na Broadway, essa preview tem se intensificado, acelerada pela pandemia. Apesar de seus US$ 2,8 bilhões, Avatar não conseguiu reverter um fenômeno que acompanhou o cinema há pelo menos 40 anos, que é o refluxo constante dos pagantes para a sala de cinema. O número de ingressos vendidos é cada vez menor, na base americana, e será os mais próximos de uma realidade em que ir ao cinema é como ir à Broadway: um fim em si mesmo, uma experiência mais bissexta e exclusiva, ditada não pelos filmes em cartaz mas pela própria excepcionalidade de voltar à sala escura.

Hoje, falta aos filmes da Maravilha (quefinal dominam o cartaz) o aspecto de excelência ou novidade técnica que poderia consumar de vez a conversão do cinema numa experiência essencialmente tecnológica. A julgar pelas falas de James Cameron e do produtor Jon Landau na CinemaCon nesta semana, Avatar 2 aplicado para a tarefa. Evento – organizado por redes exibidas, onde os estúdios de cinema preliminares dos seus próximos lançamentos para cortejá-las – salientou-se acima de tudo que O Caminho da Água é o filmes “com mais versões já lancedo”referência às especificações distintas de 4K, 3D, taxa de quadros, idiomas, sistemas de som e tamanho de tela que Avatar 2 comporta, faça nível de equipamento de cada sala.

Ou seja, o aspecto técnico tem o protagonismo. Faz sentiu que Avatar 2 vendido assim, porque Afinal (e 13 anos depois…) a pegada seja do filme cultural de 2009 é mínima comparada às mitologias da Marvel, Guerra das Estrelas e Harry Potter que dominam fan fictions, memes, estudos culturais nas redes e o imaginário infantil. Ninguém vai as convenções de Na’vi e quando um cosplay de Avatar aparece numa obra de ficção, como no episódio recente de WeCrashed com Anne Hathaway, em forma de piada. Fique em Avatar se refugiar no imaginário que James Cameron controla pelo menos O Segredo do Abismo (1989), que é o domínio do pioneirismo tecnológico.

O problema que Avatar 2 não vir para causar uma revolução de inovação como o filme de 2009, cujo chocque fez toda a exibição a correr para se adaptar, se modernizar – e ajustar o preço dos seus ingressos de acordo. No lugar dessa urgência, o launchmento de Avatar 2 em 2022 parece importante um movimento silencioso de quem-pode-mais, uma coisa similar a ter a melhor construção de jogo para PC para comportar jogos de ponta. O espectador que assistir a O Caminho da Água Numa sala menos equipamento vai estudar com a sombra da experiência incompleta, enquanto salas VIP com o melhor som Dolby trufada, enfim justifica o preço do ingresso com um filme em tecnologia projetada para ser uma experiência elitista.

Quando uma trilogia O Hobbit de peter jackson cinemas, houve uma corrida chegou pela “melhor experiência”. Na época, o frame rate de 48 quadros por segundo era o grande chamariz, e eu, que não sou um grande fã de O Senhor dos Aneis, procurei com certa preocupação um IMAX gringo para assistir ao primeiro filme uma segunda vez, em 48fps. Na comparação, O Hobbit ainda tem um selo de mítica diferenciado; um fã da Terra-media talvez não seja importado com especificações técnicas porque afinal ver J. R. R. Tolkien adaptado para telas é o essencial. Agora, qual é a mítica de Avatarum universo eternamente definido e escurecido por seu caráter de novidade?

Avatar 2 tem previsão de lançamento para 16 de dezembro. As continuações estão disponíveis48 para 202, 2026 e 2026.

Leave a Comment

Your email address will not be published.