Livros nascem dentro de bares e cafés de SP, como a Pulsa, com livros LGBTQIA+ – 22/04/2022 – Passeios

Antes da era da ordem livros abrigarem um café ou um restaurante, alguns foram assinados por chefspara e satisfazer os clientes emb receber de bebida ou docinho entre um livro e outro.

Mas agora as coisas parecidas se invertendo em seus espaços São Paulo: são cafeterias e livros que inauguram, para ser o público com livros café ou mesmo um livro pequeno entre um restaurante -especialmente neste, dia 23, quando é sábado comemorado o Dia Mundial do Livro.

É o caso da Pulsa, aberto no último dia 8, dentro do Das, bar na região de Santa Cecília, no centro da capital. A casa e a nova livraria dedicada à comunidade LGBTQIA+especialmente a mulheres lésbicas e bissexuais e pessoas transexuais.

“Pensamos em fazer uma banca de jornal, como Tatui [na rua Barão de Tatuí, ali perto, também em Santa Cecília]mas descobrimos que era tudo muito caro e burocrático”, explicam Caroline Ferjunandes e Ferjucrático aluguel, que foram comandados a um espaço de entrega onde havia uma sex shop dentro do Das Das disponíveis, começou como oferta. Em menos de três uma sex shop. meses, a Pulsa estava pronta.

Por tudo, é possível encontrar obras que passaram por vários gêneros e que foram escritas por pessoas da comunidade LGBTQIA+ ou abordam temas relacionados a esse universo.

O acervo ainda é tímido — são cerca de 40 títulos, entre publicações de editoras independentes e best-sellers. Há títulos como a coletânea de quadrinhos “O Essencial de Perigosas Sapatas”, de Alison Bechdel (sim, um criadora do teste famoso que avalia filmes do ponto de vista da igualdade de gênero), e “Despertar”, escrito por Octávia E. Butler, autora de ficção científica.

“O bar é um local frutífero para ideias e trocas, o que tem tudo a ver com literatura”, diz Fernandes. Quem parece ter uma semelhança é Ricardo Sukys, do Lardo, misto bar e sebo que começou a receber o público em setembro na Pompeia, na zona oeste paulistana.

Sukys, que se define como um acumulador, achou que seria uma boa ideia levar parte da sua coleção de livros para o bar. Seus amigos foram enviados com o pequeno acervo, que sebo.

“A ideia era conectar um atrativo com um serviço mais próximo de uma diferente e oferecer mais do que apenas um serviço bar”, explicou.

Enquanto o pedido da cozinha, as croquetas de cozinha com queijo Canastra (R$ 28) podem esperar por uma das paredes da casa. Ali, é possível encontrar quadrinhos, literatura nacional e estrangeira e obras sobre ciência, política, cinema e música. São cerca de 300 exemplares, com valores que partem dos R$ 30.

Mas também há opções para quem curte um cafezinho, como é o caso da loja na altura do número 86 da rua Pirineus, nos Campos Elíseos, região central. O espaço da loja de chá-mate Yerba e da cafeteria Por um Punhado de Dólares, um PPD, também abriga uma livraria e uma loja de discotecas de vinil.

A área dedicada às publicações foi lançada em uma Casa Plana, residência da antiga feira de publicações independentes Plana. Com a pandemia não foi uma parcela da frente, mas o pessoal do PPD pode construir uma biblioteca própria.

São cerca de 1.500 livros, todos novos, entre revistas, obras de ficção, não ficção e literatura infantojuvenil. Também é possível comprar jogos, agendas salgadas, postais e pôsteres aguardando uma xícara de café, que pode ser comprada em diferentes, e belisca um.

Ou como o poema de Paulo Leminski publicado no livro “Winterverno”: “Antes que a tarde amanheça/ ea noite vira dia/ põe poesia no café/ e café na poesia”.

Lardo – Bar e Sebo
R. Guiará, 376, Pompeia, zona oeste, tel. (11) 97854-0719, Instagram @lardo.pompeia


Yerba + Por um Punhado de Dólares
R. Pirineus, 86, Campos Elíseos, região central, Instagram @yerba.ppd


Pulsa
R. Fortunato, 133, Santa Cecília, região central, Instagram @livrariapulsa

Leave a Comment

Your email address will not be published.