Livros digitais da área da Educação contemplam temáticas diversas

Em continuação à série que divulga as novidades da Editora UFJF, confira os cinco títulos relacionados Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Juiz de Fora. Todas as obras estão disponíveis gratuitamente no Site do editortem UFJF.

Publicidade escolar, transidades, narrativas, inclusão e Marx são alguns dos assuntos abordados educacionais (Arte: Milenabo)

A iniciativa, que faz parte de uma estratégia em desenvolvimento dos selos editoriais dos programas de pós-graduação, conta com 36 novos livros digitais. Eles são de trabalhos docentes e resultado de nove PPGs da Universidade.

Escola pública

A obra Escola Pública: Igualdade e Pluralidade no Capitalismo Contemporâneo tempo por objetivo analisar os desafios e as perspectivas da construção teórico-política entre igualdade e pluralismo na fase atual do capitalismo. Nesse sentido, parte das contradições do processo de capitalismo com suas perspectivas de acirramento das desigualdades sociais, intensificação da exploração do trabalho e da negação de direitos sociais, foi definida pelas relações de mercadorização da vida.

Para desenvolver essa abordagem, o professor e autor da obra, Rubens Luiz Rodrigues, menciona que observam como lutas pela democratização na formação social, reforçando que a escola pública brasileira se déstaca pela capacidade de organização político-organizativa quanto pela produção teórica desenvolveu nenhum acampamento educacional. “As formulações teóricas-políticas apresenta no livro contemplar semper que a pública brasileira pode empreender pro e ações críticas que envolvimento a pluralidade cultural na perspectiva da marca de classes que marca a sociedade capitalista luta.”

Indagado sóbrio qual seria a contribuição central, Rodrigues que é “seu compromisso com a defesa da escola pública, gratuita, laica e de qualidade socialmente referenciada nos interesses, travórias e projetos da trabalhadora class. Esse projeto continua se apresentando como referência de luta por uma sociedade igualitária, democrática e socialista que pesa sobre uma difusão ideopolítica neoliberal que reforça as formas de sentir, pensar e agir da burguesia brasileira associada aos interessados ​​na mundialização do Capital”.

Oculto aos docentes que trabalham na escola pública, a realidade aos estudantes, a sério pais e ao conjunto da classe trabalhadora. A potencialidade contida nos movimentos e vinindicações em torno da pluralidade cultural adquirentes se vinculada às determinações estruturais objetivas da sociedade capitalista que estão fundamentadas em condições de classe e de desigualdade social profunda”, reflete.

Crise de capital

Do autor do professor Hajime Takeuchi Nozak, A crise do capital em Marx discute um dos temas mais debatidos historicamente pelo marxismo e que ainda hoje elaborado se mostra em aberto: “Teria Marx uma teoria sobre as capitalistas crises?” Usando-se das recentes filológicas cobertas e da reconstituição dos expositivos planos de Marx para a crítica da economia política, onde o livro examina nossos principais argumentos sóbrios mono e pluricausalidade da crise, defendidos por conhecidos autres tais como David Harvey, Michael Heinrich, Alan Freeman , Riccardo Bellofiore, além dos brasileiros Hector Benoit e Jadir Antunes.

“Para esse campo de pesquisa, trata-se de uma discussão ainda inicial no Brasil sobre as descobertas filológicas mais recentes de Marx, que deve ocupar uma atenção dos marxistas nos próximos períodos. Busca atingir um público dedicado ao aprofundamento e atualização do que se tem décoberto e debatido sobre este autor na contemporaneidade, assim como aqueles que estão organizando seu conhecimento acerca dos fundamentos expostos na crítica da economia política”, explicou Hajime Nozak.

Sobre as professoras

Apresentando uma nova perspectiva da vida e do cotidiano das professoras da Educação Básica, Narrativas de ser professoras e encontros com o tempo: uma leitura bergsoniana Mostrar um outro lado da vida busca das profissionais que muitas vezes são negligenciadas por aqueles que olham a escola de fora.

Segundo a professora e professora Sandrelena da Silva Monteiro, como professoras como profissionais que têm a obrigação social de ensinar algo da cultura escolar aos alunos que não estão apenas nas escolas. “Quando adentramos essas instituições, e nos colocamos a escutá-las, a olhá-las descobrimos que ali não é apenas essa profissional, mas também uma mulher, filha, mãe, esposa, dona de casa, com pensamentos, sentimentos, emoções, sonhos, medos que ultrapassam e muito os muros da escola.”

O e-pesquisa da teoria da obra também é fonte básica de educação, mas de construção teórica da obra, também de Henri Bergson.

Transmasculinidades e Educação

Da autoria dos professores Neil Franco, Nayara Rios Cunha Salvador, Samuel Moreira de Araujo, o livro Transmasculinidades e Educação – Interfaces entre Rio de Janeiro e Minas Gerais, Impasses entre Educação Básica e Ensino Superior apresenta uma elaboração teórica de conceitos utilizados para contestar como experiências de homens trans em instituições educacionais. Além disso, a revisão sistematizada da produção realizada sobre o tema da transmasculinidade, que é escassa se feita também com o número de publicações que abordam travestis, transexuais e transgêneros femininos.

“A obra é extremamente relevante na atualidade não só por tratar de um tema pouco explorador dentro do campo da educação, mas também por dar voz e espaço ao cotidiano, às vivências e experiências de homens trans que reivindicam o espaço escolar como lugar de pertencimento e pertencimento reconhecimento”, sintetiza Neil Franco.

Pesquisadores de diversas áreas, como qualquer pessoa que tenha interesse em compreender um pouco sobre a construção das identidades trans masculinas, podem acessar seu conteúdo. “O livro contribui para um sistema de conhecimento de homens sobre uma temática recente nas discussões sobre genero e educação, que passou a florar como educação exigida nesta segunda década de volta de 2000: a presença de homens transgêneros e sua visibilidade e reconhecimento como sujeitos de direito à educação”, pontua.

Processo de inclusão educacional

Organizado por Eliana Lúcia Ferreira, uma coletânea Teoria e metodologia do processo de inclusão educacional: visibilidade, materialidade, fragmentos e multiplicidade. Proposta de reflexos sobre teoria e métodos de inclusão educacional e tipos de procedimentos analíticos. Apresenta-se principalmente como reiteração do “fazer” da inclusão social, tornando visível como possibilidades de interação na busca de uma sociedade mas respeitosa da diversidade humana.

A obra contribui para o planejamento, gestão e acompanhamento de ações e programas sobre acessibilidade educacional desenvolvido pelas Instituições Federais de Ensino Superior (Ifes). O discurso da inclusão permeia todo, representando o efeito do possível, e simbólico da política de inclusão. Sendo este o ponto de encontro da teoria e método, uma rota do possível, mesmo que ainda com falhas, traz a possibilidade de creditar e fazer diferente para uma nova sociedade qu’estaura.

Editora UFJF

Como missão de estímulo e promoção do desenvolvimento do ensino e da pesquisa, a Editora UFJF foi criada em 1986 como um importante instrumento de divulgação científica, dedicando-se à publicação e distribuição de produtos resultantes da pesquisa e da extensão da própria Universidade e também de pesquisa de outras instituições.

Informação adicional: Editora UFJF

Confira:

Pós-Graduação em Letras totaliza oito e-books publicados pela Editora UFJF

Editora UFJF lançou 36 livros de acesso digital gratuito

Leave a Comment

Your email address will not be published.