Leia uma crítica do filme

Uma dúvida que surge quando os filmes esperam um grande entretenimento universal ou uma fidelidade de seu. Nesse aspecto, Jujutsu Kaisen 0 é um bom exemplo de como traduzir a linguagem dos animes e mangás para todos os públicos.

Baseado no mangá homônimo de Gege Akutami, o filme surfa na estética do horror japonês de forma moderada e sem abandono como características dos animes de ação. Com isso, consegue atingir um tom maduro para o público adulto sem afastar os mais novos das salas de cinema. Como enredo do prelúdio, o longa não requer conhecimento prévio do espectador e ainda traz referências a uma série de sucesso.

Na história de infância, o drama de Yuta Okkotsu, um perseguido pelo espírito de sua infância, Rika Orimoto. Ela morreu em um acidente trágico de Yuta e seu espírito na frente se tornou uma “assombração da guarda”, que elimina todos que tentam machucar o jovem. É uma das maldições mais poderosas do mundo jujutsu e por isso Yuta é mandado para a Escola de Jujutsu de Tóquio, onde faz amizades e também um periférico perigoso.

Uma das vantagens de contar uma história como a de Jujutsu Kaisen 0 é o conforto oferecido ao espectador fora da bolha do universo dos animes. O público, além de não precisa saber nada da história prévia para curtir o filme, tem a chance de conhecer uma que pode ser conquistada. O mangá no qual o longa se baseia foi publicado em 2017, com o de Escola Técnica Superior de Ju títulojutsu de Tokyo, e posteriormente catalogado como volume 0, prelúdio, Akutami desenvolver um novo protagonista e após uma trama com mais fôlego que seguiria como sequência da primeira história. Ou seja, o filme estreia no Brasil como um chamariz para novos leitores, bem como para os fãs do anime e do mangá shonen.

O filme recorre ao horror em uma história cheia de momentos divertidos, assim como faz o mangá e a série animada — nisso Akutami é especialista. Monstros, demônios, até a sensação de estar sendo observado ou até mesmo preso a mercê do desconhecido marcam presença durante todos os momentos do filme. Ainda assim, há um esforço para que o longo tempo se mantenha dentro das expectativas de quem ou.

Para demonstrar as referências ao folclore japonês, Jujutso Kaisen 0 traz consigo o conceito de você fantásticokai, uma classe especial de criaturas fantásticas do imaginário nipônico, que ajuda a história a justificar a relação dos eventos místicos do anime com a sociedade pós-moderna do país: vultos, darkening and fantasmas são todos frutos das maldições do jujutsu do universo. Assim como País de Lovecraft fez no Ocidente recentemente, o passeio de horror pelo folclore japonês também inclui no filme a figura popular da entidade Tamamo-no-Mae, uma determinação raposa capaz de encantar homens com sua presença.

Mesmo assim, o principal ponto do filme fica com uma direção, que proporciona lutas épicas em uma animação fluida e bem feita. Por mais rápidas que sejam as cenas, é possível acompanhar cada movimento e vibrar com todos eles. Desde os primeiros minutos, o longa mostra que nasceu para ser visto na tela grande. O diretor Parque Sunghooque também assinalou dos animes Jujutsu Kaisen e Fullmetal Alchemist: Brotherhoodfaz do filme um forte candidatureo a se tonar a obra-prima de sua carreira.

Repleto de acertos, Jujutsu Kaisen 0 é um dos grandes marcos da franquia de Gege Akutami. Há, ainda, crescer, para crescer ainda mais e superar como esperados para o período de filmagem e que filmes de mangás. Misturando terror, com boas piadas e cenas de luta grandiosas, o longa é uma grande conquista para os fãs de anime, que cada vez mais veem suas obras nas fachadas dos cinemas.

Jujutsu Kaisen 0

Gekijouban Jujutsu Kaisen 0

Jujutsu Kaisen 0

Gekijouban Jujutsu Kaisen 0

ano: 2021

País: Japão

Classificação: 14 anos

Duração: 105 minutos

Direção: Parque Seong Hu

Roteiro: Gege Akutami

Leave a Comment

Your email address will not be published.