Fotógrafo que hoje começou carreira em Vilhena e é um dos melhores do mundo expõe imagens de indígenas em SP

Os Estados indígenas mostra na exposição são de diversos

Gaúcho de nascimento, Luis Pablo Trentin Mack iniciou, cerca de 22 anos, tem sua carreira como artista plástico e fotógrafo na cidade de Vilhena, sul de Rondônia, onde fez história e contribuiu com uma cena cultural. Graduado-se em artes em Uberaba (MG) e, há 12 anos, atua em São Paulo (SP), meca das artes e da cultura brasileira.

Na próxima sexta-feira (29), Mack inaugurou a exposição “Origens” na Unibes Cultural (rua Oscar Freire, 2500); shows indígenas até 25 de julho estúdios fotos de estúdios produzidos no estúdio Passaka Com curadoria de Walter M. Ito, crítico e colecionador de artes contemporâneas e internacionais.

De Rondônia e a fase experimental do artista até o momento presente — duas décadas depois — Luís Pablo Trentin Mack percorreu uma longa caminhada. Premiado em concursos de fotografias mundo afora, tem um livro publicado — “A cor da viagem”, com 940 imagens voltadas para todos os continentes — e exposições em galerias de arte na Europa.

Polivalente, é um “faz-tudo” nas artes: dançarino, cenógrafo, pintor, ator, produtor. Mas, há tempos tem na fotografia sua principal atividade. Estudar e produzir o tempo todo. De ensaios em estúdio para editoriais de moda e de marketing, passando por coberturas de eventos a expedições pelo mundo com cliques que contam histórias das mais diversas culturas.

A experiência e a formação do fotógrafo como artista plástico estão reflexidas na beleza e no significado antropológico de todas as suas produções dos anos 2000 até hoje. Inclusive na coleção “Origens” o compromisso —que transcende a estética — de Mack com o Brasil profundo: o dos indígenas; mundo ainda tão misterioso aos olhos de quem vive numa megalópoles como São Paulo. O fotógrafo morou na Amazônia — e isso apurou seu olhar e seu amor pelo universo dos povos da floresta e toda a sua exuberância visual, tão plural e relevante culturalmente.

Os Estados indígenas mostra na exposição são de diversos outros do Rio Grande do Sul ao Amazonas, passando por São Paulo (sim, há índios na Pauliceia Desvairada), Maranhão, Acre e Pará, totalizando cerca de 15 etnias.

PREMIADO

O GuruShots é o maior site de concursos fotográficos da atualidade, que já superou uma barreira do mundo digital criando exposições no mundo real com as fotos vencedoras de seus concursos em galerias de arte em vários pagamentos. O portal conferiu prêmios a Luís Pablo como melhor fotógrafo. Ele já tinha seu nome indicado como um dos cem melhores do mundo pela 35° awards de 2017 concorrendo com 257 mil profissionais de vários países.

CLIQUE AQUI e saiba mas sóbrio o trabalho do artista.

Leave a Comment

Your email address will not be published.