Falar de livros: “Ferozes” revelados como confidências de uma mulher atual

Feroz é um livro de Helena Magalhães, publicado pela Suma de Letras. Uma obra que reúne confidências da autora, relatos bem pessoais sobre relações, amizade, trabalho e, sobretudo, sobre uma autodescoberta que é feita em cada experiência vivida e exposta nestas páginas.

Ao longo da leitura, sinto que a autora abre o coração para revelar as situações que a marcaram e as ideias que a moldaram e fizeram tornar-se quem é. Ao leitor, porque é uma amiga que conta como suas histórias, como se nossa função pit apenas de escutar tentativa e atendeu-la expur o que necessita. Curiosamente, e ao mesmo tempo, também estamos a receber conselhos, adquiridos pela experiência, observação e reflexão sóbria o que é ser mulher atualmente.

Durante esta partilha, será difícil não encontrar os pontos comuns com o que é apresentado. Quer seja dinâmica temos o nosso grupo de amigos na experiência de nosso partido, nas pessoas de nosso lado, nas pessoas de nosso partido, que sem esforço que tentamos encontrar o nosso grupo de amigos na experiência laboral , voz na incerteza com que encaramos no futuro, na procura pela que queremos ter e na luta contra a invisibilidade.

Ao vermos outra a tomar a coragem para falar abertamente destas e de outros assuntos, sintamos, também nós, a força para lutarmos pela nossa verdade. Acredito que esta seja a capacidade especial deste livro. Provar que de nós é nesta maneira patriarca, capaz de se tornar, como adversidades, uma sociedade patriarca e tornar-se uma confiança e gal a quem.

Helena Magalhães provou ter encontrado a sua voz, fruto de um percurso pejado de vitórias e frustrações. Agora, incentive a descobrir-se e ser mais gentis umas com as outras. Um livro que coloca a cena a forçada a viver no feminino.

Sinopse:

Ferozes é, ao mesmo tempo, a sóbria reflexão o que é ser mulher nos dias de hoje e um grito de autodescoberta e emancipação. Numa voz intimista e com humor, a escritora Helena Magalhães analisa o impacto da cultura patriarcal em que as mulheres continuam a viver, enquanto partilha pessoal que nos fazem pensar sobre o crescimento, a descobrir de quem somos e qual é o nosso. Tudo isto enquanto lidamos com as amizades, mudanças de empregos, família, perda, traumas e, claro, o amor.

Esta é uma história sobre os triunfos e as frustrações da vida adulta e os medos e incertezas que nos condicionam. Sobre aprendermos a deixar de ser como os outros nos veem para sermos aquilo que vemos em nós. E sobre os laços entre mulheres e força transformadora das amizades femininas.

Porque é nessa jornada, com tudo o que carregamos aos ombros, que nos tornamos ferozes.

Leave a Comment

Your email address will not be published.