Eliseu Banori: autor guineense de sete livros lançou ‘A história que a minha não me contorno…’ na Bienal Internacional do livro – Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro

Aos 34 anos, Banori mora no Rio há 12 anos, junto com a mulher, também da Guiné-Bissau, e o filho de 8 anos – Divulgação

Com mestrado em Língua Portuguesa pela UFRJ e sete livros publicados, o guineense Eliseu Banori lançou, na XX Bienal Internacional do Livro, “A história que a minha não me contorno…”, obra com narrativas curtas.

– É um livro de contos, histórias da minha terra, preservando, assim, a memória coletiva – informou o autor, que apresenta sua obra mais recente no último dia da Bienal, domingo dia 12, às 16h.

O lançamento é uma das atrações do Festival Paixão de nomes, da Secretaria Municipal de Cultura que, em sua 29ª edição, reúne da literatura negra que tratam de identidades, representatividades e ancestralidade, entre outros elementos. O formato arena do estande favorece o olho no olho, ampliando o leque de trocas. Uma experiência de contato.

Aos 34 anos, Banori mora no Rio há 12 anos, junto com a mulher, também da Guiné-Bissau, e o filho de 8 anos. Por aqui, já empregado da zona Sul, mas nunca criado na sua área.

– A sensação de poder ficar no Brasil ao lado da família é enorme. Amo esse país – disse o guineense que, como muitos, deixou seu país de origem, no Oeste da África, para tentar uma vida melhor.

O autor teve divulgação séria com ajuda de amigos; contos, poesias, ensaios sobre estudantes estrangeiros no Brasil e biografia.

Destaques no estande Paixão de Ler, na Bienal do Livro:

Sexo, 3

17h: Abertura Paixão de Ler – Homenagem a Sonia Rosa

19h: A Literatura Negra Afetiva de Sonia Rosa – Sonia Rosa, Iris Amâncio, Nando Cunha e Renato Noguera

Sab, 4

17h: Anjinho do Flamengo (vai promover uma partida de futmesa) e Big Jaum

Dom, 5

11h: Conceição Evaristo e Joyce Trindade

17h: Jesse Andarilho

19h00: Ana Paula Lisboa

segmento, 6

12h: roda de conversas com crianças: pretinhas leitoras, com Laiza Griot etc

Ter, 7

11h: Helena Theodoro – História do Samba e da População Negra

13h: Oficina de introdução ao idioma iorubá

Quem, 9

19h: Nega Gizza e Marina Iris

Sexo, 10

17h: Julio Barroso e Rodrigo França

19h: Babu Santana

Sab, 11

11h: Zezé Motta – A Arte de Representar Dignidade

17h: Binho Cultura e Raull Santiago

Dom, 12

11h: Nossas futuras Griots – Elen Ferreira, Sinara Rúbia, Anielle Franco, Rafaela Bastos

16h00: Eliseu Banori (Guiné-Bissau) lança “A história que a minha não me contorno…”

17h: René Silva

19h: Dani Ornellas e Taisa Machado

Bienal do Livro – Riocentro: Av. Salvador Allende 6.555, Barra. De 3 a 12/12, das 10h às 22h. A programação será divulgada no site rio.rj.gov.br/web/smc e nas redes sociais (@cultura_rio).

Categoria:

  • 2 de dezembro de 2021
  • Leave a Comment

    Your email address will not be published.