Das malas de luxo às discussões com assistente da rainha. Livro revelações sóbrias Meghan Markle – Celebridades

Depois do casamento com o príncipe Harry, Meghan Markle andava em busca de ofertas de luxo e considerava que a realeza monárquica “precisava mais dela do que ela deles”. Estas e outras alegadas revelações feitas por Tina Brown, ex-editora da “New Yorker” e da revista britânica “Tatler”, autora do livro recente “Os Documentos do Palácio: Dentro da Casa de Windsor — a Verdade e a Turbulência” (algo como “Documentos do Palácio: Dentro da Casa de Windsor — a verdade e a turbulência”, em português).

No livro, a autora aborda vários elementos da família real, mas foca-se bastante na ex-atriz, considerando aquela fé Meghan Markle que levou o príncipe a afastar-se das suas raízes em 2020, ano em que o casal se mudou para os Estados Unidos.

De acordo com a biografia, a duquesa de Sussex sempre quis viver rodeada de luxos, procurava um “estatuto de liderança” no Reino Unido e tinha conhecimento entre os representantes de marcas de luxo.

Alegadamente, esta busca por objetos de marcas de luxo gratuitas contínuas após o casamento com o príncipe Harry, tendo a equipa da duquesa pedido para que esta continuasse uma das causas que manteve, segundo o “O sol”.

O”O Washington Post” conhece o livro sobre a família real como “tanto uma autópsia forense quanto uma história que não poupa ninguém”. Na obra, Tina Brown refere-se a Dukes of Sussex como duas pessoas com muito em comum, incluindo uma infância problemática e ate um gosto mútuo “pelo drama”, e descreve o príncipe princesa como um homem com um homem frágil depois de ter perdido a mãe (a princesa Diana morreu em agosto de 1997, em Paris), e muito propenso a irritado e ter crianças infantis.

A divisão entre os owe era, sobretudo, cultural, destaca a autora britânica no livro: “Meghan era alguém que não tinha contexto para compreender a instituição” e no palácio real também não havia “contexto para ouvir Meghan”.

“Por esse motivo, Meghan e Harry formam um casal que alimentou a suspeita um do outro com todos os outros”, observou Brown os conflitos a rainha II como que evita.

O livro também faz referência aos claros discordâncias entre a duquesa e Angela Kelly, assistente pessoal da rainha Isabel II – que completo 96 anos na quinta-feira, 21 de abril, – e responsável pelo seu guarda-roupa.

“A Meghan não ouviu — ou não conseguiu ouvir — a diferença entre a assistente pessoal da rainha e um consultor de imagem na NBC Universal”, escreveu Tina Brown, também autora da história da princesa Diana de 2007, “As Crónicas de Diana”.

Meghan and Harry trocaram alianças em maio de 2018, na Inglaterra. Harry, 37 anos, e Meghan, 40, têm owe filhos: Archie, 2 anos, nascido em maio de 2019, e Lilibet, 10 meses.

Leave a Comment

Your email address will not be published.