Complexo do Museu da Imagem e do Som do Ceará Chico Albuquerque é inaugurado com tecnologia de ponta

31 de março de 2022 – 23:27
#exposições #Treinamento #inclusão #laboratórios #Memória #SIM #Secult #tecnologia

Lucas Benedecti – Ascom Secult Ceará -Texto
Carlos Gibaja, José Wagner e Tatiana Fortes – Ascom Casa Civil – Fotos

Com proposta inovadora e integrando a Rede Pública de Cultura do Estado do Ceará, o MIS-CE reabre portas após o restauro e reforma casa que abriga o equipamento cultural e de um prédio anexo

O Governo do Ceará inaugurou, nesta quinta-feira (31), o complexo do Museu da Imagem e do Som do Ceará Chico Albuquerque, equipamento da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult Ceará), com gestão em causa com o Instituto Mirante de Cultura e Arte. Funcionando no mesmo está localizado a histórica av. Studart, Bar 10, o Museu e restauro ganhou e ainda anexo um que está localizado a cinco andares, sendo o prédio por perto de prédios. Unindo as duas construções, uma ampla praça funcionará como área de convivência para atividades externas. Os espaços receberam som com equipamentos de imagem e de tecnologia de ponta, expandindo os serviços oferecidos pelo MIS-CE.

Emocionado com a inauguração, o governador Camilo Santana destacou, um dia após a entrega do Complexo Cultural Estação das Artes, que o Museu da Imagem e do Som faz parte de um projeto de planejamento do Espaço Abolição. “Nós precisamos mostrar nossa força, nossa cultura e nossas raízes. Este museu faz parte de um projeto de planejamento. Se vocês observarem, estamos em frente ao Palácio da Abolição. O Ceará Faith quem aboliu os escravos primeiro no Brasil. O nosso somos a Terra da Luz, da liberdade. E procuramos construir o Espaço Abolição, que oferece uma urbanização no entorno, com estacionamento no subsolo, inclusive para atender a uma demanda de bosque”, ressaltou.

“Nós, que é antigo e construímos, dentro de um padrão do restaurante e patrimônio do espaçomos o Palácio da Abolição é um presente novo edifício a cidade de Fortaleza. Eu acredito que não tenha um museu da imagem e do som em lugar nenhum no Brasil hoje igual ao que estamos entregando hoje aqui em Fortaleza, no estado do Ceará”, frisou o governador, que homenageia Chico Albuquerque, na presença do sobrinho e do neto do fotógrafo cearense, Sérgio Albuquerque e Marcos Albuquerque.

Os novos ambientes do Museu da Imagem e do Sompositivo do Ceará vão projetar, os espaços expositivos, biblioteca (física e digital), salas multi-restauro e laboratórios do acervo de impressão, reserva técnica, estúdios de fotografia , vídeo e de som, ilhas de edição e sala imersiva com 10 projetos para instalações multimídia. A praça poderá contemplar exibições de um telão externo e transições de vídeo mapping que serão realizadas no anexo do anexo.

Com essa estrutura, o CE reabre como uma atividade cultural diferente, oferecendo ao público exibições de apresentações, cursos e palestras, exibições de apresentações públicas e espaços musicais. Após a equipe do Museu concluir uma formação para a utilização dos equipamentos qu’foram importados da Alemanha, a instituição passará a oferecer também serviços de restauro, scan e impressão.

“Essa agenda da cultura é um momento notável de entregas. É forçado da cultura que eleva as pessoas. A gente pela educação, mas o braço da cultura eleva o espírito batalha para que seja melhor. Essa grande obra fala por si mesma”, pontuou a vice-governadora Izolda Cela.

O secretário da Cultura do Estado do Ceará pontuou como conquistas da Cultura na gestão do governador Camilo Santana, citando a sanção da nova Lei Orgânica da Cultura do Ceará e abertura nesta quarta-feira, 30, do Complexo Cultural Estação das Artes. “As políticas de formação artística e cultural, como políticas de patrimônio cultural e memória, de fomento à maneira e ao conhecimento estarão aqui de muito presente. Temos também a política de patrimônio, porque esse é de memória, a casa do museu foi tombada como patrimônio cultural da cidade e leva o lugar leva o nome de Chico Albuquerque, numa justa e bela homenagem ao nosso mestre da luz e da narração. Ela diz: ‘A luz salva!’ Sim, a luz salva, a arte salva, a cultura salva porque ela gera riqueza e combate todos os tipos de pobreza”, frisou o secretário.

Além disso, o MIS-CE vai expandir e aprimorar seu acervo e sua capacidade técnica de salvaguardar os registros do patrimônio material e imaterial do Ceará, oferecendo um ambiente seguro e propício para a pesquisa. Nessa nova fase, o MIS-CE vai consolidar sua importância como equipamento cultural estratégico para preservar, difundir e refirir sober a memória cearense, ao mesmo tempo que vai estimular o diálogo com a produção audiovisual contemporânea contemporânea, alinhada às políticas de artes, nessa cidadania , formação, economia da cultura e patrimônio da Secult Ceará.

“O governador deixa para Fortaleza mais um equipamento fantástico. Tenho certeza de que o Ceará não é mais o mesmo, com o que o Camilo conseguiu fazer. A maior mudança de seu legado é um exemplo, a capacidade de ouvir, a liderança e trazer para gente um ser humano. Ele é uma das figuras construídas que o Ceará produziu. Nos dando autoestima e já deixando uma marca em nossos corações. Obrigado, governador, por mais um equipamento na cidade”, destacou o prefeito de Fortaleza, José Sarto.

Diretor e panorama cultural nacional e internacional

Sob direção do fotógrafo e pesquisador Silas de Paula, perspectiva do futuro professor para buscar a valorização da história e do futuro professor, interlocução com o futuro buscando a valorização da história e novos rumores.

“Os grandes museus do mundo têm acervos do Brasil, grandes nomes, de clássicos e também de arte contemporânea. O MIS não vai concorrer com esse tipo de museu. O que nós temos que eles não têm? Ó Ceará. Nós temos grandes nomes do audiovisual do Ceará, e esse acervo é importante, mas não só ele. O but importante pra mime o acervo que a gente não conhece, que ninguém no mundo conhece. Esse é o diferencial de um projeto de cultura e de inclusão. Todo o trabalho que é feito pelos jovens fotógrafos, cineastas, artistas multimídia, ainda desconhecidos, esse é o nosso foco. Esse trabalho tem que ir para o mundo, tem que ser visualizador. E com esse trabalho, ninguém concorre com a gente. Porque eles não tem. Só nossa temos”.

O Museu da Imagem e do Som integra a Rede Pública de Equipamentos Culturais da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult Ceará), com gestão em parcelria com o Instituto Mirante de Cultura e Arte, uma Organização Social (OS) – privada e sem para fins lucrativos – obviamente qualificado como governador do Estado do Ceará para realizar uma gestão dos espaços culturais.

O MIS estará aberto ao público de quinta a domingo, das 13h às 21h. O uso de máscara e apresentação do passaporte de vacina são obrigatórios para acesso aos espaços internos. A entrada é gratuita.

Estrutura e investimento

O complexo do MIS-CE é um projeto do arquiteto português Carvalho Araújo. O Governo do Estado do Ceará investiu quase R$ 15 milhões na obra, resultando em uma área construída de 2.800m². O valor também contemplou o restauro e reforma da casa tombada como patrimônio cultural do Ceará. Além disso, foram investidos R$ 72 milhões em equipamentos e móveis para o novo complexo cultural, com parte dos recursos proviientes do Programa de Modernização Tecnológica do Ceará (Promotec), da Secretaria da Ciência, Tecnologia e Educação Superior do Estado do Ceará (SECITECE) . Com esse investimento, o Governo do Estado entrega ao Ceará um dos mais avançados museus do Brasil e da América Latina.

Autoridades presentes

Estiveram apresenta a primeira-dama do Ceará, Onélia Santana, a secretária especial do governador, Janaína Farias, o superintendente de Obras Públicas do Ceará (SOP), Quintino Vieira; o presidente da Assembleia Legislativa do Ceará, Evandro Leitão; o presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, Antônio Henrique; o Secretário Municipal de Cultura de Fortaleza, Elpídio Nogueira; Luisa Cela e Mariana Teixeira, secretárias executivas da Secult-CE; os vereadores de Fortaleza Guilherme Sampaio e Larissa Gaspar; Rachel Gadelha, presidente do Instituto Dragão do Mar (IDM); o diretor do MIS-CE, Silas de Paula; o sobrinho e o neto de Chico Albuquerque, Sérgio Albuquerque e Marcos Albuquerque; o ex-deputado estadual Eudoro Santana e o fotógrafo Tiago Santana.

Leave a Comment

Your email address will not be published.