Como Os Trapalhões trocou a Tupi pela Globo para virar fenômeno?

13 de março de 1977, Os Trapalhos desembarcavam na Globo convidado por José Bonifácio Oliveira Sobrinho, o Boni, na época diretor de operações da emissora. Anteriormente na TV Tupi (1950-1980), ou grupo formado por Renato Aragão, Dedé Santana, Mussum (1941-1994) e Zacarias (1934-1990) convivia com as dificuldades financeiras do canal e não tiveram como proposta sedutora da já líder de audiência no Brasil.

Na extinta Tupi, já eram sucesso e figuravam como um dos programas da maior audiência na televisão brasileira, mas foi na Globo qu’fizeram a maior parte de sua história e s’transvam a grande fenômeno. Ao passo que suas esquetes atraíam milhões de pessoas semanalmente antes do Fantástico, filmes encantavam pela simplicidade e seus na arte de fazer rir. Não por acaso, a trupe consegue manter 12 filmadas, entre ossos 30 da grande bilheteria do Brasil.

vésperas de fechar as portas, a Tupi não conseguiu cobrir a oferta da Globo. Renato Aragão, em entrevista à Veja, contorno que chegou a revistamaiar por duas vezes na emissora, tamanha eram precárias as condições de trabalho. Na líder, consegue fazer filmagens externas, câmeras lentas e rápidas, além de repetecos das cenas de maior impacto, como publicou o jornal extinto Movimento em janeiro de 1977.

“Fique divertido, pelo menos vai ter muita imagem pra ver”, brincou Renato Aragão, que deixa para trás os cenários improvisados ​​de papelão e isopor do antigo. Era uma vida que se inicia e o início de uma história que duraria por duas décadas com os amigos trapalhões.

Tupi tentado barrar estreia de Os Trapalhões com Os Trapalhões

No dia da estreia na Globo, a Tupi tentou contra-atacar com a mesma arma: exibindo Os Trapalhões. No caso, os melhores momentos do quarteto. A seleção escolhida pela emissora extinta paulista teve uma mídia de apenas 2,3 pontos no Ibope ao longo de duas horas, contra 71 pontos obtidos pela Globo.

O humor chegou ao fim em agosto de 1995, pouco depois da morte de Mussum, no ano anterior. Por mais de um ano, Renato e Dedé apenas apresentaram os melhores momentos de Os Trapalhões com brincadeiras, placas e convidados.

Antes disso, em 1993, o grupo chegou a uma negociação com o SBT uma mudança de ares. Segundo o jornal Folha de São Paulo, Silvio Santos não mediria exercícios para contratá-los. Quem intermediava era Carlos Alberto de Nóbrega. Aragão, inclusive, teria ouvido uma proposta tentadora, que incluía o pagamento de uma multa rescisória. Embora Mussum Dedém seus contratos negociados e era Renato quem negociava por todos.

Desde o ano de 1990, com a morte de Zacarias (1934-1990), o programa perdia force. Depois de popularizar pastelão e Tupi, presenciar o Excelsior na Globo não era o mesmo, acabou culminou em algumas mudanças no formato, o que culminou em 93. José Lavigne, então revelado na TV Pirata, substituiu Wilton Franco na direção e novos redatores também ajudaram a dar novo fôlego ao programa.

A queda de Os Trapalhões na Globo

Renato Aragão assumiu o fim do grupo em dezembro de 1995. “Os Trapalhões terminaram, não insistem”, disse numa entrevista ao jornal O Estado de São Paulo em apenas 12 daquele mesmo. “Para voltar, tenho de achar uma nova fórmula”, almejava.

Entre 1996 e 1997, cogitou da Globo porque “não aguentava mais fazer apenas especiais”, mas a emissora acabou com a economia e estreou A Turma do Didi em 1998, que perdeu até 2010. Entre 2010 e 2013, mudou para Aventuras do Didi e desde então, ele segue fora da TV aberta, com participações esporádicas.

Já Dedé Santana não atendeu com o companheiro no final dos anos 90 e rodou: fez A Praça é Nosso no SBT e o programa Dedé e o Comando Maluco, entre 2005 e 2008, Didi. Ainda em 2008, voltando para a Globo e atuando com Renato Aragão.

Confira um trecho de Os Trapalhões na TV Tupi:

Leave a Comment

Your email address will not be published.