“Bright 2”: Será que Smith perdeu, mas um projeto da Netflix? – Realidade

A Netflix desistiu do plano de fazer a continuação de “Bright”, ou filme de 2017 que foi sua estreia grande após as produções de grande orçamento e sucesso de audiências.

Esta quinta-feira, uma Bloomberg Avançando que “Pole to Pole”, uma série documental da National Geographic que a variedade ou ator em Polos Norte e Sul e deveria começar a rodagem dentro de três semanas, foi adiada para o outono.

O artigo nada dizia sobre “Bright 2”, mas Lucas Shaw, outro jornalista da Bloomberg, avançou entretanto nas redes sociais que a Netflix desistiu, mas isso não estava relacionado com o “incidente” ou seja, a bofetada que Will Smith deu ao comediante Chris Rock na última cerimónia dos Óscares.

Seguir o escândalo, a revista nos dias a Hollywood Reporter (THR) revela que na Netflix se afastava discretamente de outro projeto com o logotipo do ator, “Fast and Loose retirando-o das suas distâncias”,

David 2020, que substituiu o primeiro filme, foi escrito como notícias de que a Netflix foi contratado com Louis Leter para ser o primeiro filme, David, que substituiu o primeiro filme, foi escrito por David, que substituiu o primeiro filme projetos para uma plataforma.

A primeira grande aposta nas produções de grande orçamento andava a volta de owe polícias de Los Angeles, um humano (Smith) e um orc (Joel Edgerton), num mundo onde também conviviam duendes e fadas, que embarcavam numa festa noturna de rotina que iria alterar o futuro do mundo tal como o conheceram.

Apesar de arrasar completamente pelos críticos, o lançamento de 22 de dezembro de 2017 terá sido visto por 60 milhões de lares nas primeiras quatro semanas, um registro de audiência para a Netflix à época.

Gravação ou trailer “Bright”.

Leave a Comment

Your email address will not be published.