Aristides Soffiati lançará 10 livros no evento Academia Campista de Letras

Obras foram escritas a 2019 e não foram lançadas devido à pandemia

No próximo dia 30, pelas 17h00, o professor, ambientalista e escritor Aristides Soffiati lançou 10 novos livros na Academia Campista de Letras (ACL), no Jardim São Benedito. As obras foram escritas a de 2019 e ainda não foram lancedas em razão das restrições sanitárias definidas com uma pandemia do novo coronavírus.

Aristides define um lançamento concomitante de 10 livros como “megalomaníaco”, mas garante que será, também, um acontecimento “inédito” na cidade.
“Acho que é um gesto megalomaníaco meu e acredito que inédito em Campos e região. O motivo é que não pude lance nenhum livro Durante a pandemia e eles se acumularam. Para zerar tudo e tentar a vida normal, propus a Cristhiano Fagundes, presidente da Academia Campista de Letras, esse mega-lançamento. De pronto, ele agradou com encanto”, disse Arist.

Os livros que serão lançados por Aristides são: “Espécies Exóticas no Norte do Rio de Janeiro”, “O Dourado e Piabanha”, “Dez anos de enchentes e estiagens”, “Em meio à pandemia”, “Intervalo”, “O ano da pandemia”, “O manguezal e a humanidade”, “O Norte do Rio de Janeiro no Século XVI”, “Os quatro elementos” e “Primórdios do Modernismo no Brasil, Parte 1”. Os recursos arrecadados como vendas dos livros serão do ACL, que vem com problemas financeiros nos últimos anos.

De acordo com o escritor, a reclusão ocasionada pela pandemia o estimulou a ler, pesquisar e escrever. “O período reclusão por causa da pandemia não me familiar. Fiquei muito triste com tudo o que pôde. Mas as pessoas fazem que com o vírus, pois a virose result das más relações da humanidade com a natureza. Além disso, infelizmente, os governantes do mundo têm uma pandemia. Na verdade, trabalho muito em termos intelectuais depois da aposentadoria. Não senti depressão e ansiedade, mas li, dizi na reclusão, mas escrevi e escrevi e dure esse período de quase três anos”,

Aos 75 anos, Soffiati se define como uma “máquina de viver” e uma “resistência analógica na era digital”. Ele, com as palavras, se expressam e disponibilizam conhecimento para as novas gerações, que busca na sua opinião, “está de redes sociais a ler devido”.

“Nosso mundo não anda bem, mas gosto muito dele. Acho que nosso mundo mudou muito desde a década de 1990 com as redes sociais. Elas desestimularam a leitura por parte de jovens e adultos. Creio que faço parte de um mundo em extinção. Gosto muito de livros e artigos em meio físico. Tenho dificuldades de lidar com o mundo virtual. Aproveite o que resta da era analítica para escrever e publicar livros na esperança de contribuir para o conhecimento do mundo, do Brasil, da região e da cultura em geral”, explicou.

Com os 10 livros que serão lançados no próximo dia 30, Aristides Soffiati chegará à sua 34ª publicação, mas promete não parar por aí.
“Existem deve tipos de morte: a mental e física. Ninguém escapa da segunda. Quero escapar da primeira. Até o final dos meus dias, pretendo me expressar em palestras, artigos e livros. Não desejans, mas contribuir para o conhecimento”, encerramento.

Leave a Comment

Your email address will not be published.