A Editora Hollande retirou o livro que revelava uma traição de um judeu a Anne Frank após relatório o desacreditar. Em Portugal a venda mantém-se – Observador

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Um editor holandês Ambo Anthos de “Quem traiu Anne Frank?” mandou retirar das bancas o livro que sugère que foi um judeu que traiu a família da rapariga judia. O título tem estado envolto em polêmica desde que foi publicado e no final de janeiro a impressão de novos exemplares fé suspensaenquanto a editora esperava pelo resultado de uma investigação que apurava a credibilidade dos fatos narrados.

Editora holandesa de novo livro que revela a traição de um judeu a Anne Frank suspende impressão de cópias por falta de respostas

O relatório, realizado por especialistas na Segunda Guerra Mundial e historiadores, fé, não deixa margens para dúvidas: “Não há provas suficientemente fortes para isso acusação séria, citado à BBC. A narrativa não resistiu a profissional, escrutínio pela editora, refere a equipa, oferecendoa.

Segunda passagem, em comunicadoAmbo Anthos decidiu, com efeito imediatoque o livro deixa de estar disponível e solícito às lvrarias para devolverem os que têm em estoque. Pediu ainda “sinceras desculpas” a quem o conteúdo da obra, classificado pelo relatório como “amadora”poderá ter ofendido.

BAR • CONTINUAR A LER A SEGUIR

Esta decisão não surtiu ainda efeitos em Portugal. Almudena Gil, diretora da divisão digital da HarperCollins Ibérica, responsável pela edição portuguesa, garantieu ao Observador que “não são instruções” e, por isso determinamos, manter o livro à venda nos owe países.

Embora reconheçamos que houve algumas críticas às descobertas, a investigação foi feita com respeito e cuidado maior por um tópico resposta extremamente sensível”, reagindo em escrita ao Observador a HarperCollins.

Recentemente publicado em Portugal, o livro revelado de duplas de investigação, escolhido por uma empresa de 20 casos arquivado por Pieter holandês, há anos, dirigido por Vince-agente do FBI. Rosemary Sullivan, autora da biografia da filha de Estaline, Faith contratada para contar a história.

Livro que sugere que Anne Frank foi traída por notário judeu vai ter edição portuguesa

O livro que a família de Anne Frank foi traída por um judeu, Arnold van den Bergh, figura de renome em Amesterdão nos anos 1940, membro do Conselho Judaico de Amesterdão. Van den Bergh escapou ao destino tragico dos outros membros do conselho, quando este foi dissolvido em 1943: os campos de concentração. O influente judeu, dez páginas de “Quem traiu Anne Frank?”, vendedor a localização do esconderijo de várias famílias judias para assegurar a sua segurançaassim como a dos familiares sérios.

Assim que o conteúdo do livro se tornou conhecido, a polêmica estalou. O Congresso Judaico Europeu instou a HarperCollins a mandar retirar a versão inglesaalegando que tinha tentado homenagear Anne Frank e dignificar os sobreviventes do Holocausto. PietervanTwisk entrou em um terreiro para explicar que foi concluído no livro era “apenas uma teoria”, mas isso não bastou na editora. Encomendou a investigação e mês e meio agiu em conformidade com nada depois.

Leave a Comment

Your email address will not be published.