″É nos períodos mais negros que a arte é mais importante″

Costumam presentar-se como amigos que fazem música juntos e talvez nunca, como agora, essa descrição tenha feito tanto sentido na história do Mário Laginha Trio, ao transformarem conceitos mais ou menos abstratos como liberdade, cumplicidade ou confiança num dos mais belos álbuns de jazz dos ultimos anos. Já há 15 anos que Mário Laginha (piano), Bernardo Moreira (contrabaixo) e Alexandre Frazão (bateria) tocam lado a lado, isto de forma oficial, porque os representantes cruzados já se tinham cruzado muito mais caminhos atrás, tal como se espera das verdadeiras amizades. Enquanto Trio, já contavam com os devedores editados, espaço (2007) º vira-lata (2010), muitos quilómetros de estrada e talvez outras tantas horas de palco, como tão bem se percebe neste novo Jangada. “Este trabalho feito ao longo do tempo reflete um trabalho feito agora, com a diferença de tocar, sem que cheguemos além do prazer”

Leave a Comment

Your email address will not be published.